Chegando

Saímos da “lá” depois do almoço e depois de uma parada no Panamá, seguimos pra “cá”. Muito obrigado a galera que nos levou ao aeroporto!! Sair de mala e cuia da sua casa já tem um efeito giratório grande no estômago e ser levado ao aeroporto ajuda muito a passar para a próxima fase.

Chegamos depois de meia-noite meio cansados. Conseguir repor vidas no avião é difícil porque o sono é sempre interrompido por alguma coisa. A maioria das vezes era a comissária falando que estávamos entrando numa zona de turbulência. Só a altura da voz dela na caixa acústiva já estava criando turbulência. Devia ter ficado calada e deixado a turbulência chegar. Eu até gosto de turbulência. Depois de ficar sentado na mesma posição por horas a turbulência me lembra aquelas cadeiras de massagem. É ótimo. E nunca vi tanto neném junto. No mud, basta digitar sleep pra repor as energias mas no avião não rola. Vou arrumar um fone de ouvido supressor de ruído e usá-lo junto com tampão. Ao menos a fome não era um problema. A companhia nos entupiu de comida engasga lobo guaraná.

No procedimento de descida já dava pra ver a quantidade de neve acumulada na cidade. Pena que era a noite e não dava pra ver muita coisa. A vista da cidade plana com neve a partir do avião deve ser bem bacana. A imigração foi super rápida, só me perguntaram com o que eu trabalhava.

+50 XPs!

LEVEL!!!!

Aí oficialmente começava nossa vida canadense. (fato da mudança de nível aí em cima). Não sei se vamos perder níveis ao voltarmos… open quest. O primeiro obstáculo foi esperar até a esteira de malas parar e perceber que uma delas não chegou. Foi a mesma sensação de morrer num RPG e perder todos os seus itens. Mas fomos super bem atendidos e fizemos uma reclamação devidamente carimbada e arquivada. Só precisávamos ligar no dia seguinte para passar o númeor do telefone de contato.

Obstáculo seguinte: conseguir pelo menos 40 dólares para pagar o taxi sem usar as casas de câmbio. Elas estavam fechadas. Conseguimos sacar direto no único caixa eletrônico disponível no aeroporto usando o cartão de débito brasileiro.

+100 XPs!

Achamos a fila do taxi e colocamos todas as roupas de frio que trouxemos na mão pra enfrentar os -12C que estava fazendo lá fora. A fila andou rápido e fomos embora. O taxi chegou em uns 20 minutos e pagamos. Só que o motorista nem desceu para ajudar a tirar as malas. Só fomos descobrir depois que aqui se dá em torno de 15% de gorjeta para taxi.

-50 XPs

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s